Blog

A importância de uma consultoria especializada em nutrição animal

2019-10-21




A capacitação dos profissionais, a expertise teórica e prática, a utilização da tecnologia e o acesso às mais confiáveis e avançadas fontes de pesquisa, são fatores fundamentais para o planejamento e a execução de uma nutrição animal assertiva e lucrativa para o seu rebanho.


Seja na pecuária de corte ou de leite, o acompanhamento profissional faz toda a diferença e traz para o produtor a segurança de um atendimento planejado, estruturado, feito por técnicos capacitados e experientes.


A seguir, você terá a oportunidade de observar algumas peculiaridades, dicas e procedimentos que demonstram toda esta profissionalização do serviço, são diversos pontos a ser observados e utilizados.


Pecuária de Corte


Primeiramente, falando especificamente de gado de corte, a equipe da Campo Nutrição animal disponibilizou as seguintes informações:


Reprodução: Diferentes categorias, diferentes estratégias nutricionais!


A importância da nutrição nos índices reprodutivos já é amplamente discutida e conhecida. Porém, pouco falamos sobre as respostas da suplementação em diferentes categorias. Como é sabido, as exigências nutricionais variam de acordo com cada categoria (ex.: novilhas, primíparas e multíparas) e estado fisiológico (ex.: vaca vazia, vaca prenhe solteira, vaca prenhe lactante). Porém, mesmo sabendo das particularidades, na maioria das vezes, conduzimos estratégias nutricionais sem considerar estes pontos. 

Para obtenção de estratégias nutricionais mais assertivas é de suma importância que as mesmas sejam definidas levando em consideração pontos como: categoria animal, época do ano, estado fisiológico, entre outros. A busca por um escore de condição corporal (ECC) adequado deve estar sempre no radar do pecuarista quando o assunto é reprodução, tendo em vista que animais com baixo ECC apresentam, entre outros pontos negativos, maior período de anestro e menores chances de prenhez. 


Em números levantados durante três anos (2015 a 2017) pelo Grupo Especializado em Reprodução Aplicada ao Rebanho (GERAR), foi possível observar que vacas multíparas que foram submetidas a IATF com escore 2,5 apresentam taxas de prenhez variando entre 50,5% a 51,5% e, a mesma categoria animal, apresentou números entre 55,4% a 56,7% quando tinha nota 3,5 no ECC.


Diferentes categorias, diferentes respostas!


Em trabalho desenvolvido por Carvalho (2017) foi possível observar que, mesmo com igual ECC ao parto, as fêmeas primíparas apresentam período mais longo de perda de escore (Figura 1), podendo levar a baixos números de prenhêz quando submetidas a protocolos reprodutivos. 








No mesmo trabalho foi possível observar que quanto maior o ECC pré-parto, maior a probabilidade de prenhêz, sendo esta resposta mais acentuada em primíparas (Figura 2).




Portanto, quando falamos em suplementação de fêmeas, é de fundamental importância que tenhamos planos nutricionais bem definidos para cada categoria durante pré e pós-parto.


Vaca bem nutrida, bezerro pesado!


Quando falamos de vaca bem nutrida, nos vem à mente logo os índices reprodutivos. Porém, uma das grandes vantagens de uma boa nutrição de fêmeas é o reflexo na cria. E esse reflexo não é pontual, segue “impresso” ao longo da vida do animal. 




Na Figura 3 pode-se observar os momentos de formação de fibras musculares e de tecidos adiposos, a tão falada programação fetal. Em outras palavras, são os momentos onde “está sendo construída a caixa” que o animal terá para preencher durante o ciclo produtivo, tendo em vista que estas fibras musculares não são produzidas após o nascimento.


Ou seja, se a vaca passa por restrição nutricional durante a gestação, principalmente no terço intermediário e final, a cria não terá grande potencial de desempenho. Como podemos observar, a nutrição da fêmea reflete em pontos que vão desde os índices reprodutivos até na capacidade da cria expressar seus ganhos. Assim sendo, é de fundamental importância uma nutrição equilibrada e específica para cada categoria animal.


Pecuária Leiteira


Focando agora na pecuária de leite, nossa equipe disponibiliza dicas preciosas, detalhes que se tornam importantíssimos para a obtenção de bons resultados.


Planejamento de volumoso


    • Cuidados com o momento de ensilagem, pois uma boa forragem define o ano produtivo;

    • Projeção da quantidade de volumoso que serão gastos até a próxima safra (2020).



Sala de espera eficiente


      • Com a chegada das chuvas os desafios aumentam. As vacas têm grande dificuldade em eliminar calor. Reduzir temperatura corporal, seja na sala de espera ou com aspersão em linha de cocho.



Manejo de cocho


        • O estresse térmico reduz a ingestão de comida. Limpeza diária do cocho e sobra de comida são medidas que mantém a comida fresca por mais tempo e estimula o consumo;

        • Produção está relacionado diretamente com consumo (quanto mais comer, maior será a produção);


Planejamento


        • Compra estratégica de produtos e subprodutos, visando oportunidades de mercado e redução dos custos de produção;

        • Atualização de custos, para enxergar novas oportunidades de compra e aumentar a lucratividade;

        • Atualização dos índices zootécnicos e planejamento de metas para 2020.




Propriedades a pasto


  • Atenção na transição da silagem de milho para o pasto.


O verão aumenta os desafios de imunidade abrindo porta para doenças


            • Intensificar passagem dos animais em pé diluvio para combater doenças do casco de caráter infeccioso;

            • Manter atualizado calendário de vacinações para reduzir a incidência ou prevalência de doenças no rebanho;

            • Manter dietas ajustadas visando atender as particularidades de cada categoria.



Conclusão


As orientações, dicas, métodos, estratégias e estudos aqui apresentados são uma demonstração das vantagens de se contar com um apoio profissional na nutrição de seu rebanho.


Sua aplicação prática exige essa expertise, entre em contato com a Campo, teremos um enorme prazer em contribuir com a produtividade de seu negócio - (62) 3645-4300

 



Fontes citadas:

Du, M., J. Tong, J. Zhao, K. R. Underwood, M. Zhu, S. P. Ford, and P. W. Nathanielsz. 2010. Fetal programming of skeletal muscle development in ruminant animals. Journal of Animal Science. 88: E51-E60.

https://www.grupogerar.agr.br/corte/, acessado em 16/10/2019. 

Carvalho, R. S.. Influência da alteração do escore de condição corporal e de hormônios metabólicos pós-parto na eficiência reprodutiva de vacas nelore inseminadas em tempo fixo. Botucatu, 2017.


Receba Novidades por E-mail:

Fique Conectado